O sonho

Já não dá para agarrar o travesseiro, fechar com força os olhos para tentar se prender ao último delirio onirico. Abre os olhos, levanta e vive. Cata os estilhaços desse sonho, são vidro e não se colam e joga fora. Que adianta sofrer por migalhas do que nunca foi?  Junta hoje essas cinzas com o sujo e feio pois são tristes, mas são reais. Vamos, larga o cetro, coroa e castelo, é puro éter. Vem e toma as rédeas da sua vida.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s