Aproveitando a deixa…

Minha época preferida do Ano é o início, por eu amar estabelecer metas e desejos. Uma delas é passar a postar mais no blog e como tenho tido pouco tempo livre para o ócio puro e simples, minhas inspirações para escrever tem sido poucas.

Minha vida mudou muito desde 2010, quando criei este blog pra tentar por minhas emoções em ordem e poder analisá-las depois. Foi minha principal ferramenta para superar crises pessoais e minha ansiedade, que muitas vezes é sem sentido. Meu estilo de escrita também mudou e ainda não consigo lidar bem com ele, o que tem gerado hiatos bem grandes entre uma postagem e outra.

Conheci muitos blogs, principalmente de garotas, que têm me inspirado a falar mais de assuntos cotidianos, como leituras, filmes, etc. Se para mim, tenho sido prazeroso e gratificante conhecer, mesmo que minimamente, outras pessoas através desses pequenos vislumbres do dia-a-dia delas, talvez o contrário também ocorra. Também pretendo responder tags e desafios que eu achar que tem a ver comigo.

Enfim, estas são minhas resoluções para Kirmiz em 2014!

Aproveitando a deixa, começo aqui minha lista com o Melhor do meu Ano Literário de 2013:

Melhor livro infantil: O Mágico de Oz – L. Frank Baum

Um clássico que eu não havia lido até então. Minha mãe, aproveitando promoções que surgiram por conta do filme, comprou uma linda edição de bolso em capa dura com ilustrações originais.

Melhor livro de contos: 12 contos peregrinos – Gabriel Gárcia Márquez

Acho que esse livro me tocou principalmente por eu estar sempre longe de casa, da minha terra natal, do meu passado. Sou uma eterna peregrina.

Melhor livro de poesias: O Esplim de Paris: Pequenos poemas em prosa – Charles Baudelaire

Poemas simbolistas, carregados de significados. Meu preferido foi ‘Embriagai-vos!’

Livro mais lido: O profeta – Gibran Khalil Gibran

Ganhei uma edição antiga e surrada de meu tio há 4 anos atrás e desde então não paro de lê-lo e relê-lo ad infinitum. Para quem nunca tinha lido literatura oriental, foi um choque bem grande. Possui uma linguagem mística e fluída, nada forçada. Sempre que quero me sentir mais leve ou meditar leio alguns trechos.

Melhor livro de não-ficção: 3096 dias –  Natascha Kampusch

A maturidade de Natascha para lidar com seu sequestro, o mais longo da história, é surpreendente. A análise psicológica que faz de si mesma, mostra como ela pode se adaptar a situação e suportar por tantos anos viver enclausurada. Emocionante.

Melhor autor ‘descoberto’ no ano: Neil Gaiman

Novamente, minha mãe foi responsável por esse ‘descobrimento’, pois comprou uma série de livros dele e pude conhecer finalmente sua obra. Li Coisas Frágeis, Deuses Americanos, O Oceano no Fim do Caminho e Os Filhos de Anansi. Os que mais gostei foram Coisas Frágeis e O Oceano no Fim do Caminho.

Enfim, infelizmente 2013 foi um dos que eu menos li. A faculdade tem me tomado muito tempo e quando chego em casa estou tão cansada que só penso em dormir. Espero que ao consertarem o calendário acadêmico eu tenha mais tempo para ler, principalmente nas férias.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s